Bem-Vindo(a) ao Saikai!
Registre-se para ter acesso a todos os fóruns do RPG e poder interagir com os players. Usuários também podem criar fichas e iniciar seu personagem na história.
Login Registrar-se
Recrutamento para uma nova seleção de times aqui !!!
Juntes-se ao Discord aqui !!!

Foto

[Trama/História] The Fallen Kings!



Novo Tópico  Responder ao tópico

  • Por favor, inicie sesión para responder

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

#1
Fuera de línea
Convidado
em Sex Set 28, 2018 6:31 pm




Convidado

The Fallen Kings


Há cerca de vinte anos atrás, ou um pouco mais, havia três Chunnins que eram o orgulho de Konohagakure, Sunagakure e Kirigakure no Sato. Esses três ninjas eram extremamente peculiares, poderosos, tamanha força que era desigual aos shinobis. Haviam métodos próprios qual era de forma absurda, talvez até criativa por assim dizer.

Agora vamos contar a história de como tudo isso aconteceu. As vilas tinham um acordo mútuo de colaboração no passado contra Iwa e Kumo. Normalmente essas missões que ligavam ataques coordenados contra essas duas nações haviam um grupo bastante exclusivo seguido de cinco shinobis de cada vila, a elite dela, de membros da ANBU a Jounnins que estavam prestes a serem liberados. Os líderes desses esquadrões eram os Chunnins que tinham sua reputação, fama e temor dos outros.

Bohreski Nadakaro, membro dos espadachins da Névoa, portador da espada agulha. Jyganashi Inuzuka, líder e mais fiel membro do clã dos domadores de cães de Konoha, seguido por seu parceiro Hurksu, um lobo gigante de aproximadamente um metro e vinte centímetros de altura nas suas quatro patas, em pé era além de dois metros. Tsugashi Noratsuda, membro dos grandes mestres de marionete da vila da Areia, perito em assassinato múltiplo, reza a lenda que este conseguia lutar contra mais de cinco ninjas sozinho.

Esses três formavam a tríplice conhecida como os “Untamed Kings (Reis Indomáveis)” a destruição acompanhava de perto esses ninjas, por onde passavam restava unicamente cinzas, corpos espalhados ou sangue derramado de forma até desnecessários. Reis do Caos, eram temidos em todo o mundo Shinobi, ninguém ousava contestar eles a não ser que quisessem ser mortos de uma forma brutal.

Quando o período de guerra cessou-se. As vilas fizeram alguns acordos internos sem o conhecimento da tríplice. E se iniciou uma caçada de todos os países envolvidos aos três. Encurralados, os três reis fugiram de suas vilas natais quais estavam recebendo ataques diários. Junto a cada um com no máximo dois seguidores fugiram, se juntando para que pudessem sobreviver fazendo uma organização de seis a nove shinobis de um nível extremamente absurdo.

Desde então estes eram procurados incessavelmente antes dos acontecimentos das guerras e do ataque dos usuários de Jashin, mas se os Kages foram ingênuos a ponto de pensar que aqueles homens esqueceram completamente das vilas que viraram suas costas a eles, estavam enganados.

O tempo do contra-ataque havia se iniciado. E junto agora cada um com unicamente um ninja de seguidor, voltaram para terminar o que começaram. Eles não voltaram as suas vilas natais, cada um atacou vilas distintas quais fizeram parte, o conto deles será dito a seguir:


Fallen King:  the Ripper!


Há vinte e cinco anos atrás, um incidente aconteceu em Sunagakure. Um dos membros da elite dos usuários de marionetes resolveu fazer os mesmos passos de seu antecessor, Sasori.

Ele transformou toda a sua unidade em marionetes sem vida com diversos mecanismos de controle e armas escondidas. Extremamente hábeis, era algumas das marionetes mais bem feitas dos últimos cinquenta anos.

O nome do líder desse antigo esquadrão? Tsugashi Noratsuda. Um jovem ninja que acabara de se tornar Chunnin com a maior nota já vista naquela aldeia, ele utilizou de uma única marionete para assassinar vinte e três gennins, foi o maior banho de sangue da história dos Chunnins Shiken. Não parecia ter alguma perturbação em sua mente, apesar de ele ser normalmente recluso e sempre usar uma máscara de gás em sua face.

Aqueles que eram mais próximos deste, acabaram sendo dispensados para equipes diferentes, todos aparentavam uma profunda insanidade e um terror psicológico que normalmente só veteranos de guerra tinham. Alguns relatos destes era que quando próximos ao seu antigo companheiro de sangue, pareciam afundar em uma piscina de sangue onde encontrava-se pedaços das vítimas alheia. O instinto assassino dele era algo que ninguém conseguia entender ou conter.

A outra companheira dizia sempre ouvir estalos mecânicos quando muito próxima dele, que ela não entendia muito bem. Lembrava-se também que a cor de íris do seu querido amigo mudou repentina de um verde brilhante para um luminoso e amedrontador carmesim, carmesim este que era da mesma cor de seu casaco que sempre usava.

De fato eram especulações, laudos médicos perturbadores feito pelos melhores psiquiatras que podia se ter. Mesmo assim, aquele homem sempre que passava por algum lugar deixava tudo e todos em estado de pânico, como se algo o acompanhasse. Será que existia esse algo, ou esse algo seria o ar que pesava, pairava sobre os ombros dos aldeões e ninjas dando uma nítida sensação que um demônio caminhava em plena luz do dia impune.

A realidade é que o Kazekage fazia vista grossas para esses atos desumanos, afinal, era o melhor Shinobi que a vila possuía. Porque não mimar? Esse velho não sabia a imbecilidade que cometia, talvez o tempo iria ensinar.

Depois do ato hediondo de transformar todos seus aliados em marionetes suas barbáries não terminaram por ali. A investida deste contra Takigakure, que aparentemente era uma vila neutra e pacífica simplesmente fora apavorados é um ato talvez que fosse julgado por uma corte marcial caso existisse. Não havia sobrado nada, nenhum ninja, nenhuma alma que pudesse relatar o que realmente aconteceu. Seguido de seu único acompanhante e fiel escudeiro, Tsugashi reduziu a vila de Taki a ruínas.

“Se for matar algo ou alguém, que seja de forma bem feita!” Era uma frase que o mesmo gostava de proferir intitulando-se como aquele que a criou, inclusive. As coisas que já pareciam ruins estavam tendenciosas ao pior.

Dois anos se passaram desde a súbita morte do Kazekage, tendo um mais novo assumindo. Este próprio induziu Tsugashi a ANBU, lutando juntos quando Iwa invadiu Suna, no fim. O novo Kazekage acabou morto, junto ao antigo Tsuchikage. O corpo do jovem ruivo havia sumido, qual o ANBU disse que havia sido degenerado a pó pelo Kekkei Totta do inimigo assassinado.

Pelos rastros de destruição acontecidos na luta, nenhum dos anciões resolveu contestar.

...

Tendo sido obrigado a evadir-se da vila, o titereiro se viu obrigado a juntar-se com os outros reis, que intitulam-se como os reis caídos. E por um tempo mantiveram-se inertes quanto aos acontecimentos do mundo.

Em algum momento os três resolveram atacar, acompanhado de seu fiel escudeiro, Tsugashi invadiu Konohagakure no Sato e em menos de três dias as lutas haviam cessado. Contabilizando oitenta e seis mortes contando o Hokage a sua lista. De lá, ensanguentado saiu carregando um pergaminho que tinha um selo passado de geração a geração. O que seria aquilo? O que ele buscava e almejava? O que seria de Konoha? Só o tempo diria.


Fallen King: Carnificine!


Há vinte e cinco anos atrás na vila oculta da folha,  um jovem Shinobi do grupo de rastreamento se destacava facilmente, principalmente por ser de um clã famoso da vila. Inuzuka Jyganasho, naquela época o homem havia unicamente seus dezoito anos. Havia acabado de se tornar Chunnin, porém, um caso foi levantado em sua aprovação. Seus colegas de equipe haviam sumido da vila após a finalização do exame, nem restos mortais conseguiram encontrar, algo bastante suspeito.

Jyganasho recebeu visitas da ANBU naquele fatídico dia, porém explicou que nada sabia sobre o ocorrido e que ajudaria nas investigações possíveis com a ajuda de Hursku, seu gigante companheiro.
Os ninjas mais experientes pareciam ter engolido aquela probabilidade, depois de alguns meses arquivaram o caso por falta de provas.

O Hokage atual era um Hyuuga que era extremamente pacifista, que visava uma era de paz entre as nações. Mas, as coisas não funcionavam bem como o seu desejo. Kumo e Iwa que haviam formado uma aliança interna entre elas subjugava as três demais aldeias que foram obrigadas a unir forças, para resistir a tamanha força bélica.

Jyganasho estava entre alguns dos Shinobis que apoiavam um ataque surpresa a Iwa, que seria a adversária talvez mais perigosa ou forte. Isso fora negado pelo Hokage, este dizia que queria uma luta justa em pesos iguais. Todos aqueles que tiveram sua ideia negada foram corrompidos por sua própria ira e ódio.

As lutas foram feitos a pedido do grande Hyuuga, o que fizeram com que a vila perdesse o combate contra a pedra, assim como pelo menos metade de toda sua força ninja. O Inuzuka fora o primeiro a apresentar uma reclamação formal ao seu antigo líder, porém, de nada adiantou.

Possesso de raiva, este parou de fazer missões em prol da vila, adotando características diferentes dos demais ninjas. A vontade do fogo em seu coração foi substituída por outra coisa mais preciosa em seu ver.

...


Tendo a confirmação de seus ataques, os reis caídos se separaram. O Inuzuka seguiu para Kirigakure qual causou tanto caos que lembrou a época da vila da névoa sangrenta.

Em sua mão estava a cabeça de um Shinobi já desfalecido. Ele a arremessava para o alto em todo momento, brincando de jogar e pegar andando com passos vagarosos na direção de um Shinobi que implorava e gritava por clemência.

Um grande sorriso se abriu nos lábios do Jyganasho que esmagou o crânio em sua mão. A visão de vocês leitores, se escureceu, a seguinte risada ganhou o local: aqui

Fallen King: Silent One!

Há muitos anos atrás, dentro do grupo dos espadachins da névoa, um homem de cabelos curtos loiros, olhos de tonalidade azulada que pareciam quase tão densos quanto o próprio oceano que rodeava a vila. Dentre todos os espadachins que haviam sido intitulados, ele era o mais perigoso segundo boatos.

Assim começou a história de Bohreski, um Jounnin da vila da névoa, qual era além de membro da ANBU um espadachim da Névoa de altíssimo calibre, sendo um dos homens mais confiáveis do atual Mizukage. O loiro era um homem extremamente misterioso. Muitas das vezes que o procuravam, ele estava sentado a beira de um lago ou um cais observando a lua enquanto mascava com vontade um cigarro por entre os dentes. A fumaça que exalava talvez trazia até embriaguez emocional aqueles que a inalavam. Ninguém sabia ler sua mente, quanto mais entender suas emoções que eram mutáveis muitas das vezes.

Uma coisa que era sempre vista com ele, era uma lâmina fina que guiava algo preso a cintura alheia, além do próprio cigarro em seus lábios. Aquela era uma das espadas utilizadas pelos espadachins, a famosa espada agulha (Nuibari).

Junto a ela, Bohreski completou muitas missões difíceis, algumas até taxadas de impossíveis. Ele de longe era o mais talentoso entre seus colegas, mas o que um homem tão silencioso que dificilmente falava algo, ou descordava tinha algo a oferecer?

Essa não era a real história. Nem sempre ele era silencioso, parecia que algumas coisas na natureza afetam diretamente seu humor, como se houvesse uma dupla personalidade ou até mais. Seu humor silencioso horas tornava-se agressivo e inconsequente, outras horas tornava-se mais depressivo e emotivo. Era difícil explicar.

O Mizukage o mantinha próximo a si pelo seu extremo valor como um ninja, até mesmo ele tinha seus incômodos graças ao temperamento avulso de seu ninja, mal ele sabia que aquilo poderia causar problemas inimagináveis.

Durante uma invasão da aldeia da grama, aliada da vila da rocha a ira instalou-se no corpo do espadachim, cujo fez um grande montante de corpos pendurados pelo fio de sua agulha que cortava com facilidade até mesmo a mais dura rocha. O problema nisso tudo não era a aniquilação dos inimigos, mas sim corpos de aliados que também ali estavam presentes.

Os shinobis da Névoa ficaram amedrontados com tamanho show de horror, jamais imaginariam que seu pior inimigo seria seu melhor aliado nos seus tempos de crise emocional. Mas, nem tudo era perfeito não é mesmo? Causa e efeito estão aí para nos provar que tudo que pode ser muito benéfico também trará consequências que talvez não sejamos capazes de aguentar.

Após uma aliança concretizada entre as cinco grande nações, Kiri se viu obrigada a expulsar o membro que antes ajudou outros dois shinobis, um de Konoha e outro de Suna a aniquilar muitos dos shinobis da força aliada inimiga. O espadachim partiu levando consigo sua fiel companheira e uma seguidora que estava aprendendo com ele alguns passos de uma boa espadachim. Qual seria o destino deles ?

...


Sua vila de ataque havia sido selecionada, era nenhuma menos que Sunagakure. E para lá ele partiu, longe de sua pupila, acompanhado unicamente por sua amada espada.

Chegando a vila ele fez questão de deixar aparente sua presença, não fazendo um ataque surpresa, mesmo assim o resultado era evidente. Um banho de sangue de maneira desnecessária talvez. Não sobrou sequer um único Gennin vivo devido a investida daquele ser. A aldeia da Areia, que antes era grande e poderosa, estava em ruínas.

Mensagem [Página 1 de 1]

Novo Tópico  Responder ao tópico